BOLSONARO SE RENDE AOS SERVIÇOS DO CENTRÃO

Jair Bolsonaro foi eleito em outubro de 2018 sob a égide da gestão transparente, fugindo de práticas antigas como o fisiologismo tão danoso a nação. O combate a corrupção também foi uma das principais bandeiras de Jair Bolsonaro durante toda sua campanha, bem como todo o período que esteve como parlamentar na Câmara Federal. Logo após a chegada da pandemia, é visível a falta de direcionamento e tato do presidente frente aos rumos do país. 

Não bastasse os desafios frente a pandemia, Jair Bolsonaro resolve tirar da diretoria da PF um dos delegados mais próximos do ex-juiz Sergio Moro, desencadeando com isso uma crise política sem precedentes, algo que até hoje não conseguiu responder qual o real motivo das mudanças de peças na PF, com isso acabou perdendo um dos seus maiores e bem mais preparados ministro e grande cabo eleitoral. 

E nas últimas horas traindo todo o seu discurso de duas décadas como parlamentar, resolver fazer aliança com a parte podre da Câmara Federal. Políticos que não possuem nenhum escrúpulo em vender seus serviços em troca de favores nada republicanos. Por fim a pergunta que nos resta é, será se Jair Messias Bolsonaro estaria preparado para o cargo de Presidente da República do Brasil.

(*) Natanael Castro, editor.
TAG