O Mundo VUCA, a Pandemia e o Coaching

Nascido do acrônimo das palavras Volatility (volatilidade), Uncertainty (incerteza), Complexity (complexidade) e Ambiguity (ambiguidade), o termo VUCA teve sua origem na década de 90, em ambiente militar americano, com a finalidade de explicar o mundo no cenário Pós-Guerra Fria. 

Com a crise financeira de 2008, o VUCA (ou VICA, se utilizarmos as palavras que compõem o acrônimo na língua portuguesa) passa a ser incorporado ao mundo dos negócios. E reflete a necessidade urgente de modificações nas culturas das organizações. A volatilidade passa a exigir, por exemplo, mais criatividade em soluções. A incerteza pede agilidade e flexibilidade. A complexidade mostra uma maior atenção a tecnologias e à forma de lidar com pessoas. E a ambiguidade nos lembra que já não podemos pensar em respostas certas, pois não há uma única e poderosa solução para os problemas.

A tentativa de acompanhamento a novas e constantes necessidades de mudanças, seja pela adaptação ou reconstrução de modelos de negócios, exponencia-se quando somos surpreendidos pela pandemia de COVID 19. Fomos forçados a uma pausa e à compreensão de mudanças urgentes a serem implementadas em nossas vidas pessoais e nas organizações, sob pena de não retornarmos a algumas atividades. A mudança precisa ser rápida e, em alguns casos, radical. 

Inovação tornou-se palavra de ordem. E vai além da tecnologia! Muitos ainda se perguntam sobre o que vai mudar, sem se darem conta do que já mudou e do que se apresenta como tendência. A volta ao estado anterior, tal qual se apresentava, não procede, pois algumas modificações já foram implementadas e incorporadas. É preciso quebrar a resistência, reconhecer a situação sob a qual fomos colocados e agir com resiliência para retomarmos nossas atividades de forma mais fortalecida. Penso que isso valha para nós, indivíduos, e para as organizações. 

Não temos como fugir do seu impacto na cultura organizacional! Amparada na missão, na visão e nos valores da empresa, a cultura organizacional, ou corporativa, reúne crenças, hábitos, valores, comportamentos e normas da organização. Considerada como identidade coletiva, a cultura organizacional é referência para os empregados e também diferencia a empresa no mercado.

Cientes do cenário atual e de que a cultura organizacional influencia diretamente nos resultados de uma organização, o que tem a ver com sustentabilidade e competitividade da empresa, uma preocupação bastante pertinente é revermos a necessidade de fortalecer ou de modificar a cultura da empresa; e de como manter o alinhamento dos colabores, de forma a desenvolverem-se as estratégias necessárias ao alcance dos objetivos estabelecidos. No rol das respostas que cabem a esse questionamento, destacam-se a formação de liderança forte e a confirmação dos principais elementos da cultura organizacional em treinamentos e processos de coaching. O líder, visto como referência para o comportamento de sua equipe, como exemplo a ser seguido, precisa vivenciar diariamente a cultura da organização.  

Coaching é um processo estruturado, com metodologia específica, voltado ao alcance de objetivos e metas em alta performance. Trabalha de forma intensa competências como autoconhecimento, disciplina, gestão do tempo, foco, determinação, motivação, empatia, planejamento, tomada de decisão e orientação a resultados. Para aplicação em organizações relacionamos as melhores práticas dessa metodologia nos programas de Leader Coach,  Executive Coach e Team Coach.

Alcançar os resultados financeiros almejados por uma empresa passa pela satisfação de seus clientes, que por sua vez decorre da forma como os processos acontecem e as pessoas os executam. Amparado na estratégia de negócios de sua organização e no modelo de competências decorrente dessa estratégia, o Executive Coaching trabalha a perspectiva de pessoas, engajando, desenvolvendo, alinhando e direcionando ao alcance de resultados específicos organizacionais. É um processo individual com foco voltado ao desenvolvimento de competências e destinado a líderes.

O Team Coaching é um programa avançado e inovador de coaching aplicado a equipes, que visa apoiar a abertura de canais de comunicação interna e definição de metas específicas, definição de planejamento estratégico para o alcance de objetivos relevantes, aprendizagem compartilhada, consciência do papel estratégico, senso de direção, alcance de objetivos, criação de cultura de incentivo e apoio, desenvolvimento de potencial e alcance de desempenhos elevados. O programa tem metodologia amparada no conceito 70/20/10, a saber: 70% on the job (no ambiente de trabalho), plano de ação na prática, com execução de tarefas desafiadoras; 20% em sessões de coaching com interações em grupo; 10% conteúdo teórico (leitura, vídeos e cursos) É norteado pelo modelo de competências, atrelado à pesquisa de clima e valores da organização. Tem como foco o alinhamento de estratégias para o alcance de resultados almejados pela organização. Destinado a equipes de liderança.

Leader Coach é a união da metodologia do coaching à liderança, o que implica no fortalecimento e na exponenciação da capacidade do líder em comunicação e engajamento de sua equipe, além trabalhar, de maneira extraordinária, o aumento da performance dos membros dessa equipe. Consciente de que a forma como trata sua equipe reflete na maneira como ela se comporta e do impacto disso nos resultados da empresa, o leader coach consegue avaliar a si próprio e a sua equipe, identificar fatores de motivação, promover o desenvolvimento e tomar decisões mais assertivas. 

Diana Gaspar é Master Coach, especialista em Gestão de Negócios e em Gestão de Pessoas em Ambiente de Mudanças.
TAG