Blogueiros bolsonaristas alegam que suas fontes de renda, são todas advindas do Google

Alvos da Operação da Policia Federal que investiga a rede por detrás das fake news, blogueiros apoiadores de Bolsonaro, tiveram seus notebooks e celulares apreendidos pela PF na semana passada. O inquérito que está a cargo do Ministro do STF Alexandre de Moraes, visa encontrar os integrantes e a fonte patrocinadora da rede de fake news, que segundo alega o inquérito, pode estar por detrás dos diversos ataques a membros do Congresso e Judiciário brasileiro.

A principal linha de investigação aponta os integrantes do suposto "gabinete do ódio", que seria gerido de dentro do palácio do planalto, como principais mentores da rede, seriam eles Carlos e Eduardo Bolsonaro, ambos vereador e deputado federal, filhos do Presidente Bolsonaro. 

Hoje o editor chefe do site Brasil Sem Medo, um dos sites apontados por divulgar as fake news que atacam membros dos poderes da república, Bernardo Küster, em entrevista ao Programa Pânico da Jovem Pan, afirmou que toda a renda obtida pelo site é advinda do Google Adwords, uma ferramenta da gigante de tecnologia, que faz a intermediação de sites de grande audiência com grandes marcas do Brasil e do mundo. 

Até o momento o inquérito iniciado pelo STF que visa investigar a rede de fake news, tem sua legalidade colocada a prova pela opinião de diversos magistrados de renome nacional. Em contrapartida membros da esquerda brasileira afirmam que todos os indícios apontam de fato para o "gabinete do ódio", como o mecanismo que orienta e organiza a suposta rede que dissemina os ataques. 

(*) Natanael Castro, editor.
TAG