Coronavírus, primeiro lote da vacina de Oxford chega ao Brasil

Nas próximas três semanas, doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, serão aplicadas em voluntários nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Ao todo, duas mil pessoas serão submetidas ao teste, que foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Parte da imunização já chegou ao país e aguarda o início dos estudos armazenada em temperaturas negativas.

O Brasil é o primeiro país, fora do Reino Unido, a iniciar testes para comprovar a eficácia da vacina. Em São Paulo, os experimentos serão conduzidos pelo Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Já no Rio de Janeiro, os testes ficarão a cargo do Instituto D`Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), e a Rede D`Or São Luiz cobrirá os custos da pesquisa. 

A Unifesp e a IDOR afirmaram, por meio de nota, que os voluntários selecionados serão profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus, uma vez que eles estão mais expostos à contaminação. Além disso, os escolhidos precisam ser soronegativo, isto é, pessoas que não tenham contraído a doença anteriormente. 

Para a doutora Lily Yin Weck, coordenadora do CRIE/Unifesp e investigadora principal do estudo, "o mais importante é realizar essa etapa do estudo agora, quando a curva epidemiológica ainda é ascendente e os resultados poderão ser mais assertivos."

(*)Fonte: Primeiro Impacto (sbt)
TAG