Dor de Cabeça, Relaxa?


Dorzinha de cabeça infeliz...  Desde cedo aporrinhando...  Ainda há pouco resolvi dar uma parada aqui e ir comprar um analgésico, a farmácia mais próxima fica há uns três quarteirões, farmácia enorme, diga-se de passagem, parece até um supermercado, tinha de um tudo lá, só não encontrava o tal do remédio pra dor de cabeça. Procurei por todo canto, achei mamadeiras, perfumes, shampoos (alguns ótimos até), fraldas, chocolates, até pano de chão, balinhas e saco de lixo eu achei, menos o bendito comprimido pra dor que eu procurava... Resolvi falar com uma das atendentes (uma loira linda que por alguns segundos me fez até esquecer que eu estava com dor de cabeça) ela pediu que eu me dirigisse ao balcão, e esse tal balcão, ficava beeeem´nos fundos da loja. Que saudades daqueles tempos em que era só chegar na farmácia, (com o balcão bem na frente da loja) comprar o remédio e sair. Sem ter que andar por departamentos e mais departamentos cheio de coisas que nem se pensaria em colocar em uma farmácia dos meus tempos de guri.

Cheguei ao tal balcão e fui direto: "Tem comprimido pra dor de cabeça?" Bom, alguns podem até achar estranho eu perguntar isso, mas levando em consideração o que eu já havia encontrado por alí, não duvidaria se ele me dissesse que lá não vendia remédio. Ele então me listou um sem fim de opções (colocando um ponto final a minha suspeita de que não havia remédio naquela farmácia) perguntei qual o mais potente, daqueles que a gente toma e antes dele chegar no estômago ja fez efeito... Ele me deu um envelope e eu nem pestanejei, tomei logo dois, que é pra não perder tempo, se um ja fazia efeito rápido, dois então era Vapt-Vupt, exatamento o que precisava.

No caminho de volta, comecei a me sentir meio estranho, uma súbita moleza, meio sonolento, vista embaçada. Quando dei por mim estava sentado numa calçada de uma loja, debaixo de um sol a pino, suado, mas extremamente relaxado... Não encomodava o sol, o calor, a dor tinha ficado não sei por onde porque eu nem dei falta dela. Levantei e tomei rumo aqui de casa de novo. Onde fiquei piscando miúdo por um bom tempo, jururu, sonolento, letárgico.

Tive então a curiosidade de ver o remédio que tinha tomado lá na farmácia.

Deu pra entender o que tinha me acontecido... O FDP do atendente tinha me vendido envelopes de 500 mg de Carisopodrol. E como dizia na embalagem que agora eu lia com a vista embaçada, era: "Um Poderoso Relaxante muscular".

Bom, e a dor de cabeça? O que? Cabeça? Sei não moço, já não sinto meu pé, imaginem a cabeça!

Jaime J Júnior, é Designer Gráfico e escritor
TAG