COLUNA SOCO NO MURO: O ABRIGO À PANCADEMIA


 O Portal TORDESILHAS e o blog LITERATURA LIMITE (www.literaturalimite.blogspot.com.br) vão meter sua colher nesta panela de pressão cultural acerca da demolição ou não do Abrigo da Praça João Lisboa, sobre vagas na Academia Maranhense de Letras e coisas da terra do flango flito.

Aí o Zezim do Caldo de Cana tava voltando da rua, tinha ido tomar umas marabas; no que abriu a porta da casa, “pombas!”, exclamou ao ver o seu melhor amigo Anacleto da História faturando sua mulher ali no sofá da sala.

Indignado e em gestos tresloucados e de comediante ensaiando um pastelão, de sopetão  arrastou o sofá jogando o casal no chão e já na rua arrastando o móvel causa de sua desgraça e ruína deixou-o ali junto ao primeiro poste que encontrou. Voltou pra casa e dessa vez entrou pelas portas do fundo e foi dormir o sono dos que se sentem saciados de vingança na casinha do cachorro.

É o que faz a turma pró demolição do Abrigo da Praça João Lisboa. Nem vou entrar com dilúvios de cateretês e palavras arrancadas das bocas cheias de obscenidades e juridiquês arcaico dos nossos (vossos) ministros do STF. Nem deitar conhecimento histórico-sociológico-antropomórfico do surgimernto do Abrigo, sua construção, os que ali beberam pinga, uísque, abacatada, cerveja, e o saudoso caldo-de-cana, geladinho, quando a gente chegava por ali às três horas da tarde, suando em bicas debaixo de um sol infernal, mas o sol sob o céu de nossa São Luís.

Escritores, poetas, jornalistas, engenheiros, arquitetos, especialistas, por que não os punguistas?, já deitaram falação sobre o tema.

O negócio é bem simples. Esse dinheiro que nos chega da UNESCO via IPHAN (certamente já carcomido pelas beiradas) é para a CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E HISTÓRICO DE SÃO LUÍS. Não é para demolição de nada, é conservação, seus pensadores com orelhas de burro! Sim, São Luís foi tombada. É tombamento do patrimônio. Será que entendem o verbete no seu sentido laico: tombar é derrubar.

Querem derrubar, pois derrubem.    

Um falou sobre ali em torno haver traficantes, o lúpmen, sujeira, urina e fezes, insegurança. O que diabos tem o Abrigo a ver com isso? Quem tem que se haver com tais fatos são os órgãos públicos, de segurança e de saúde.

Querem derrubar, pois, derrubem: a Igreja do Carmo (o estado é laico), os prédios, tudo enfim, e construam estacionamentos e uma grande sauna gay, pública, mas deixem o relógio para marcar as horas e os séculos da nossa hipocrisia, ganância, ignorância e sordidez. 


Quando a Academia Maranhense de Letras foi criada por quase que exclusivamente escritores o mundo era outro e São Luís também. Os nomes mais ilustres e representativos das letras maranhenses nela fizeram moradia e fixaram padrões e valores não apenas estéticos, artísticos, filosóficos, mas também morais.

         Por interesses outros foram chegando acadêmicos de pouquíssimas letras, a não ser as de câmbio; pescoços cheios de comendas, medalhas e condecorações foram tomando assento no chá das cinco.

         Agora há 4 vagas e muitos interesses.

         O meu candidato a uma delas é o Poeta FERNANDO BRAGA, escritor irretocável, caráter ilibado (ah isso é requisito para o STF), com uma obra marcante na literatura maranhense e brasileira, páginas e páginas de críticas, ensaios literários, uma vasta produção poética, mas, para quem viu o Nauro Machado aqui e o Mário Quintana lá no Rio Grande serem preteridos tantas vezes a uma cadeira nas Academias de seus respectivos estados, não me espantarei se as 4 vagas forem ocupadas por pés de chinelo da cultura e do livro.


Pra mim essa Pandemia não existiu como existiu para a maioria, organizações de saúde, governantes, peritos, especialistas, ministros, pois as primeiras cenas que vi daquelas pessoas caindo pelas ruas da cidade chinesa me parecem falsas.

E quanto às mortes verdadeiras mais que uma tragédia da natureza sabia que ali tinha mão humana e olho miúdo por trás das máscaras gananciosas, em busca de poder e lucro.

Cada um que pense como quiser. É livre a manifestação de pensamento e não são os ministros do STF que controlam a minha fala, nem mesma a tal da Constituição, pois o que me controla é tão somente a minha consciência.

Tem tanto angu debaixo desses caroços que vocês vomitariam se lhes chegasse ao mesmo tempo ao estômago e ao discernimento, ao olfato e ao paladar esse prato noticioso que nos foi e é oferecido.

Por isso, só agora o gordinho e negrinho da OMS veio a público dizer que economia e saúde devem andar juntos. Na certa ele sabe que vai lhe faltar dinheiro. O Trump vai cortar e outros estudam a possibilidade.

Por mim, ONU, OMS, OEA, FAO e demais organismos e ONGs inter e nacionais iam todas às favas.

Sou do bloco dos trogloditas, sim. Tenho todo o direito de ser o que bem entender, contanto que não pise, de propósito, no calo de ninguém.

E voltando ao início desse artigo quando disse que a palavra é CONSERVAÇÃO do Abrigo, afirmo, sou conservador, votei e votarei para reeleger Bolsonaro.

Por hoje é isso. E é só. 


Raimundo Fontenele, Poeta.

TAG