Os Melhores álbuns lançados em 2020

2020 foi com certeza um ano atípico na história da indústria musical, com ausência de shows praticamente durante todo o ano, em contrapartida esses shows deram lugar as Lives, mas é bem verdade que uma Live jamais irá substituir o clima de celebração de um show de música. Ainda assim o ano em relação a lançamentos de discos foi bastante interessante, resolvemos alencar aqui os melhores discos lançados no showbizz musical, tomando como base as principais vertentes da música pop atual.
                           
A cantora americana Lady Gaga, iniciou o ano lançando um álbum onde retorna às suas origens, ou seja, o som mais pop com apelo de discoteca, um retorno ao inicio de sua carreira. O álbum "Chromática" possui todos os elementos que um disco de pop necessita para estourar nos tops trends de serviços de streaming, um disco muito adequado para quem deseja se jogar nas baladas logo depois que a pandemia acabar, é claro.

O segundo disco de Dua Lipa é um convite irresistível para uma noitada numa pista de dança. Em "Future Nostalgia" a cantora vezes parece com Madonna no auge dos anos 80, em outros momentos lembra Gloria Gaynor bem como a musa Olivia Newton-John. Se o objetivo era se estabelecer como a continuação de uma linhagem musical que nos legou cantoras como as citadas acima, bingo!! 
Um dos discos mais festejados de 2020, com certeza é "What´s your Pleasure" da Inglesa Jessie Ware, o quarto álbum da carreira da cantora é uma aula de dance-pop todo calcado no revival das discotecas da virada dos 70 pros 80. Esse mergulho que é hoje realizado por diversos nomes da cena pop, seguramente tem no nome de Jessie Ware a melhor transposição, não bastasse isso Jessie é uma das cantoras mais seguras e criativas em sua perfomance, tipicos atributos de uma verdadeira power-girl.
O primeiro álbum de Dylan depois de receber o Nobel de Literatura, é mais uma vez um mergulho no que de melhor tem a obra do mestre, quando este resolve fazer de suas reminiscências da juventude um grande álbum de rock'n'roll. Country, Blues e pitadas certeiras de jazz, preenchem os minutos onde o bardo acompanhado por um time de craques solta a voz como um profeta cantando coisas de um passado glorioso. No auge dos seus oitenta anos o velho Dylan deixa claro que ainda tem muita lenha pra queimar nos palcos do velho e bom rock'n'roll.
Uma mulher é boa, duas é muito bom, três então. O trio HAIM lançou em 2020 "Women in Music Pt. III", um apanhado de canções cantadas e tocadas com muita categoria, por três irmãs, sem nada a provar a ninguém na música pop, o novo álbum  possui canções de amor recheadas de auto-reflexões de mulheres atentas a seu tempo, importante alertar como todas as canções podem ficar, podendo ser comum você lembrar de trechos especiais da grande maioria delas. Um dos melhores discos do ano com certeza.
Pearl Jam uma das últimas bandas realmente politicas na acepção da palavra, lançou mais uma vez um grande disco em meio ao caos proporcionado pela pandemia. Pela capa já é perceptível ver com a banda continua afiada em suas agendas, um disco maduro. O Pearl Jam de Eddie Vedder é um dos poucos sobreviventes da tempestade grunge . Em Gigaton os músicos que hoje estão na casa dos 50 e 60, esbanjam vitalidade e criatividade, nesse álbum a banda flerta como diversos nomes do pop com batidas dançantes e como poucos acertam em cheio como é possivel perceber em"Dance of Clayorvants" e "Superblood wolfmoon", se é discaço de rock tinha de ser do Pearl Jam.
Se a tônica dos melhores discos de 2020 foi revisitar a década que estabeleceu Michael Jackson e Madonna como Rei e Rainha do pop, é correto citar também que The Weeknd foi de certo modo o artista que indicou o caminho correto para a volta a esse passado recente. O maior nome do pop do genêro masculino lançou em 2020 "Afters Hours", tendo como pano de fundo sonoro o mesmo sintetizador e as mesmas batidas do disco anterior, num grau de genialidade onde a repetição é mero detalhe. Oras, e as referências onde ficam? Estão todas lá, até porque para citar os grandes é necessário talento, e cá para nós hoje em dia a escassez desse atributo é deveras acentuada.

Natanael Castro, editor.
TAG