Monumento símbolo da expulsão dos franceses do Maranhão, com ajuda de Nossa Senhora da Vitória

Em 1500 o Brasil foi descoberto por Portugal, tornando-se uma importante colônia de exploração da Coroa Portuguesa. Somente com o surgimento das Capitanias Hereditárias em 1534, que foi demarcado os limites das terras que se transformariam futuramente no Estado do Maranhão, logo em seguida em 1535 foi fundado o povoado de Nossa Senhora de Nazaré na Ilha de Trindade hoje São Luís (Capital), porém o povoado não obteve muito tempo de existência. Os filhos do Donatário João de Barros, pediram ao Rei de Portugal Dom João II por volta de 1554, que mandasse povoar a região, pois ja se ouvia falar em excursões de franceses na região em busca de (Pau Brasil).

Em 12 de Outubro de 1610, Daniel de La Touche obteve da Corte Francesa autorização para estabelecer uma Colônia no Maranhão. A expedição francesa saiu de Pernambuco em março de 1612 em direção ao Maranhão, vindo a construir em 08 de setembro de 1612 o forte São Luís, dando inicio a sonhada França Equinocial. No dia 24 de agosto de 1614, partia de Olinda a expedição portuguesa capetaneada por Jerônimo de Albuquerque com a missão de expulsar os franceses do Maranhão. Chegando na foz do do Rio Periá (Município de Primeira Cruz) Quartel de São Tiago em 13 de Outubro, onde deixaram uma grande cruz simbolizando a chegada. 

No dia 25 de Outubro chegaram ao acampamento de Guaxenduba (Município de Icatu), frente a baía de São José, local onde começaram a construir o Fortim de Santa Maria, no dia 28 foi celebrada a missa em homenagem ao marco oficial da chegada dos portugueses. No dia 19 de novembro tem inicio a Batalha de Guaxenduba onde os portugueses e franceses travaram um acirrada batalha que tinha como objetivo tomar posse das terras maranhenses. Mesmo estando em menor número a expedição portuguesa se jogou com todas suas forças contra a esquadra francesa, impressionando Daniel de La Touche com ato de tanta coragem.

O APARECIMENTO DE NOSSA SENHORA DA VITÓRIA EM MEIO A BATALHA 

No fragor da Batalha de Guaxenduba uma senhora de aparência diáfana e radiosa teria aperecido como por encanto entre as fileiras de combatentes portugueses, os incentivando a luta, apanhando areia do chão e transformando-a em pólvora, haja visto, que o mantimento tinha se exaurido no travar da batalha. Nossa Senhora teria curado diversos soldados feridos e dessa forma diversos relatos da época, afirmam ter sido de suma importância sua participação para a vitória das tropas portuguesas. A vitória retornou para seu dominio o controle de todo o território do Maranhão. Um monumento localizado num bairro homônimo de São Luís, foi erguido em homenagem a grande vitória na Batalha de Guaxenduba em 19 de novembro de 1614.

Da redação.

TAG