Raimundo Teixeira Mendes, filósofo maranhense idealizador do dístico "Ordem e Progresso" da bandeira nacional

Raimundo Teixeira Mendes, foi um filósofo e matemático brasileiro, que nasceu em Caxias (MA) em 05 de janeiro de 1855. Logo cedo foi para o Rio de Janeiro estudar no Colégio dos Jesuitas e depois no Dom Pedro II onde aflorou seu interesse por filosofia e politica. Em seguida ingressou na Escola Politécnica de Engenharia onde teve diversos embates com o diretor Visconde de Rio Branco, que o expulsou da instituição. Teixeira Mendes então foi estudar em Paris por influência do seu amigo Miguel Lemos, estando na Europa os dois amigos entraram em contato as teorias positivistas do filósofo francês Augusto Comte. 

No retorno ao Brasil seu amigo Miguel Lemos funda a Igreja Positivista do Brasil, e o convida para assumir a vice-diretoria, desde então os dois encabeçam o movimento que divulgaria a filosofia de Comte no país, a empreitada tinha como objetivo vislumbrar um futuro brilhante ao país à luz das ideias positivistas. Teixeira Mendes junto de seus amigos, muitos deles abolicionistas como Benjamin Constant, tinham em mente implantar os preceitos do positivismo, como forma de alcançar o objetivo almejado. Suplantar a sensação de segurança obtida através de guerras e batalhas, ou seja, a reorganização do país rumo ao futuro, deveria passar indubitavelmente pela ordem e jústiça, mecanismos necessários a chegada ao progresso.

Com a Proclamação da República em 15 de novembro, no movimento liderado por Benjamin Constant. Teixeira Mendes e Miguel Lemos viram o caminho aberto para a implantação de seus ideiais. Então no dia 19 de novembro Teixeira Mendes apresentou ao governo provisório o modelo de bandeira nacional repúblicana, em substituição ao modelo anterior que era todo baseado na bandeira americana. Esse projeto atualizou a bandeira imperial, mantendo o verde e o amarelo - indicando com isso a permanência da sociedade brasileira - e substituindo o brasão imperial pela esfera armilar com uma idealização do céu do dia 15 de novembro e o dístico "Ordem e Progresso" (da autoria de Augusto Comte) - indicando a evolução para um regime político aperfeiçoado e o espírito que deveria animar esse novo regime. O projeto foi prontamente aceito.


Nos anos seguintes as ideias trazidas da Europa por Miguel de Lemos e Teixeira Mendes ajudaram a consolidar as bases republicanas no Brasil. Dessa forma se fez imprescíndivel a importância de figuras como o maranhense Teixeira Mendes para as bases da tão sonhada República e seu estabelecimento através da democracia. O filósofo veio a falecer em 28 de julho de 1927 no Rio de Janeiro e foi enterrado no Cemitério São João Batista, seu cortejo fúnebre é tido como um dos mais comoventes, por ter parado a cidade, que chorava a morte de um grande nome da filosofia e politica do seu tempo.



Natanael Castro, editor.

TAG