Google lança exuberante exposição sobre a evolução da música eletrônica

 

Music, Makers & Machines – a brief history of electronic music é o nome do projeto que o departamento Arts & Culture do Google acabou de pôr no ar. É como uma completa e prolixa enciclopédia online interativa sobre estilos, instrumentos, inventores, companhias e artistas que fizeram a eletrônica moldar a música desde 1895 (essa é a data da invenção do Telharmonium, primeiro instrumento a criar música com o auxílio da eletricidade). A iniciativa ambiciosa teve o apoio de 58 parceiros de 15 paises, desde a Bob Moog Foundation até a Opera House de Sydney – entre institutos, museus, gravadoras, rádios, revistas de música eletrônica e clubes noturnos.

Como em qualquer exposição, dá pra escolher tours e iniciar com quatro roteiros: Tech Nerd (pra conhecer os estúdios e equipamentos), Just Here For The Music (conhecer os artistas e músicas), At The Club (cultura dos clubs de eletrônica) e A Total Novice (para os novatos no assunto). Baixando mais a página, aparecem vários links com momentos importantes da evolução da eletrônica – aqui é bom lembrar que na primeira metade do século XX era basicamente a vanguarda da música erudita que se aventurava em explorar os recursos que os novos e caríssimos equipamentos ofereciam (com raras exceções, como a popularização o uso do Theremin em trihas de cinema e televisão). A popularização dos sons eletrônicos veio com o barateamento acelerado e a multiplicação desses recursos a partir dos anos 60 – pense p.ex. nos Beatles, nos DJs jamaicanos e nos alemães do Kraftwerk como marcos do uso criativo da eletrônica disponível.

A iniciativa do Google é admirável, pelo volume de trabalho envolvido e pela disposição em mostrar todo o universo da eletrônica aplicada à música para diversos tipos de público, dos leigos aos criadores. Vários timbres são explicados, a síntese de sons é explorada e a eletrônica é mostrada com didática e diversão. Dá pra conhecer a música eletrônica da Alemanha, Japão, Indonésia, França e descobrir gravadoras e clubs de música eletrônica – com direito à cenografia dos locais e flyers das baladas e noitadas.

Há também uma seção aonde se podem abrir imagens em 3D e realidade aumentada de 10 equipamentos que definiram a sonoridade da música black, pop e eletrônica dos anos 70 até hoje – como a bateria eletrônica Roland TR-808 ou o sintetizador ARP Odyssey. E, mais saboroso ainda, o AR Synth, pequeno experimento em realidade aumentada para quem quiser tocar alguns sintetizadores online – parceria com o SMEM, Swiss Museum & Center for Electronic Music Instruments, que também apresenta um link para 75 instrumentos históricos como o caseiro Casiotone VL-1 (você tinha um, que eu sei).


No blog do Google existem alguns comentários e direções para certas partes da exposição, como um folheto descritivo que pode te ajudar ainda mais a aproveitar todo esse material.

Então faça assim: reserve um tempo pra se perder nesse universo gigantesco que representa muito do que você ouviu em termos de música, da sua infância até aqui. O link principal é este aqui. Se quiser pode passar o dia todo lá, que nenhum guardinha vai pedir pra sair por estarem fechando a exposição. Bon voyage!

Fonte: Site Updateordie

TAG